F***

Uma vez ouvi: Penso, logo mudo de opinião. É verdade. Eu mesmo não tenho o menor problema em mudar de opinião. Um bom exemplo era uma certa antipatia que nutria por Caetano Veloso. Sei que ele jamais vai saber da minha existência e que eu não influenciaria em absolutamente nada na existência dele. Mas a antipatia existia. Ando mudando a minha opinião sobre ele. Eu, este "comédia", querendo falar de Caetano... Ontem, assisti um video de Caetano no YouTube. Uns cinco minutos de um desabafo, onde ele solta os cachorros encima de um jornalista que fala mal dele. Em certo momento, ele solta a pérola: " Deve ser porque eu sou f***. Chico Buarque é f***. Milton é f***. Gil é f***. Djavan é f*** É isso. É porque eu sou f*** e ele não consegue ser." Depois do susto e das gargalhadas, veio a reflexão. O que esse cara quis falar? Porque se fosse um exemplo de auto engrandecimento ele não colocaria mais gente na afirmação. Ele seria o único f***. Mas não. Ser f*** tinha outro significado. 

Havia certa revolta, uma pitada de angústia até, na fala de Caetano. Certa revolta, com a mesma pitada de angústia, que sinto às vezes. No meu jeito de ver, o "ser f***" de Caetano é ser naturalmente algo que o outro não consegue ser, por mais que se tente. E já que o outro não logra, critica ou desmerece. Não se pode ser bondoso, te acham frouxo. Não se pode ser inteligente, vão dizer que você é exibido. Se tem gosto diferente ou vários talentos, é metido. Se está feliz por nada, para alguns você está escondendo algum problema. Se o tempo tem sido generoso com seu estado físico e mental, os velhos precoces vão lhe lançar olhares reprovadores. Ser juntar essas qualidades a uma porção relevante de simpatia, um abraço. 

Na seqüência, veio-me a mente que existe muita gente f***. Gente comum, amigos meus, pessoas que fazem de sua vida algum relevante e somam na vida dos demais. Pessoas livres de preconceitos, sem medo de tomar decisões e que sempre tem algo bom a nos ensinar. Fiquei feliz em me ver cercado de gente f***.

É... Dou meu braço a torcer. Caetano é meio esquisito, mas não perde a dignidade. Vai morrer um dia e deixar coisas relevantes. Isso é que vale. Então, Caetano é f*** mesmo. E, pela lógica, se andar na linha, esse comédia aqui um dia vai ser f*** também.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Todos os Junhos do Ano

Brasil: Financiamentos versus Credibilidade

Cor da pele, a chave hermeneuta.