Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

"Esquenta" e queima (o filme).

O Jornalista capixaba Marcos Sacramento perguntou se a atração dominical  "Esquenta", exibido na Rede Globo, é o programa mais racista da TV. (http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-esquenta-de-regina-case-e-o-programa-mais-racista-da-tv/)
Eu respondo: Sim. Disparado.
Começo pela sua apresentadora, Regina Casé. Não é de hoje que ela se faz às custas de esterótipos pejorativos. Casé é muito, mas muito, inteligente e percebeu que captar e usar a linguagem das ruas. E agora tirou da cartola mágica este programa. Muitos não percebem, mas "Esquenta" é um reforço ao modelo que os negros brasileiros foram condenados, desde o fim da escravidão. 
Explico:
Em "Esquenta", o que existe é o reducionismo dos negros brasileiros ao caos. Isso é refletido no cenário, nos continuismos e cortes do programa, como as atrações se apresentam. É tudo bagunçado, poluído visualmente, com jeito de improvisado, de feito de repente. Igual a um churrasco na lage. Aí é que está o ponto.…

Desejável

Um carro conversível Um beijo inflamável Um coração inquebrável Uma voz audível Um cheiro inesquecível Um amor impossível Uma fé inabalável O mais rápido possível

Quando Quanto Tanto

Quando foi tanto 
Quando era tudo
Quanto, quanta
Tão rápido, 
um tanto demais
Quando lembro
Tanta coisa
Quanto foi 
Quando dói 
Quando nós
Éramos tanto

À Poesia

À poesia eu me rendo
Oferecendo homenagem
À poesia eu me entrego
Denuncio, mergulho no rio
que me leva, me joga no mar 
de rimar, de sentir, escrever
No mar de eu mesmo ser 
Sem necessariamente ser 
Eu, meu, o sentimento 
Meu agradecimento
Pois não sei como seria. 
Sem minha senhora poesia.

A Felicidade dos Outros

Felicidade alheia é incômodo somente para os infelizes. Ou para os egoístas. Como uma vez disse meu amigo Deleon Carvalho, muitos querem a nossa felicidades, desde que essa felicidade não seja maior do que a deles. É verdade. 
Mas a felicidade tem tamanho? Ela pode ser fingida? Não, para a primeira pergunta e sim, para a segunda. Na minha opinião, felicidade é absoluta. Não existe fração para a felicidade. Ou se é feliz ou não se é feliz. Já sobre fingimento, desde que o mundo é mundo, finge-se sobre qualquer coisa, principalmente a felicidade (e suas modalidades). 
Tá. Mas e daí se estão fingindo? O preço da mentira, neste caso, quem vai pagar não é quem a assiste e sim que a prega. Se a pessoa finge ser feliz, no mínimo ela está adiando seu encontro com a verdade, enxergar a realidade e ir em busca de uma felicidade genuína. É um flagelo pessoal. Por isso, me estranha ver gente choramingando sobre o exagero de "exposição da felicidade" nas redes sociais. Se a felicidade for …

Passado

Viu Sorriu Conheceu Ligou Sentiu Combinou Aumentou Deleitou Parou Doeu Sofreu (Quase) Morreu Levantou Andou Partiu Aprendeu Seguiu Viveu 

Cristo não. Perimetral sim.

Imaginemos a seguinte situação hipotética:
Eduardo Pães decide instalar uma estátua gigante de Jesus Cristo no alto do Corcovado. Esta estátua seria um projeto realizado por uma parceria entre franceses a brasileiros e o desenho seria escolhido através de um concurso. 
Seria polêmica na certa. Rapidamente, apareceriam os "verdes", alegando que uma estátua aberta a visitação num dos pontos mais altos do Maciço da Tijuca seria uma violência ao ecossistema do local. Surgiriam também os ateus e não cristãos, reclamando que uma representação de Cristo não deveria ser paga com o dinheiro do estado, que é laico pela Constituição. Seriam discursos inflamados, passeatas, atos públicos. A internet estaria lotada de blogs, posts, artigos e movimentos nas redes sociais. 
Gente na rua, Black Block, gás de pimenta. "Fora Paes", "Fora Cabral", "Cadê Amarildo". "Com o dinheiro dessa estátua dá pra fazer x hospitais e y escolas."
Paes insiste e inaugura a …

O Perdão

O perdão é uma espécie de consolo. Há coisas que não podemos mudar. Existe o rio e seu curso, ele sempre irá para o mar. 
O perdão é tirar o excesso de peso na bagagem. É entender que quanto menor o fardo, mais fácil é a caminhada. 
O perdão é um acerto de contas com o passado. É transformar o presente. É semear o futuro. 
O perdão é um jeito de crescer. É tirar o sapato que nos aperta, a roupa que nos incomoda. É vestir algo confortável e adequado.
O perdão é gostar de si mesmo, ao ponto de perdoar para merecer o perdão. É buscar o conforto da própria alma. 
O perdão é experimentar a paz. É aparar arestas através da erosão da sabedoria. É cessar a guerra e estender a mão. 
O perdão é um difícil exercício. Porém, compensador. É o esforço do amor ao próximo refletindo o amor de Deus. 
O perdão vem de Deus.

Estrelas

Quisera eu ter estrelas Muitas delas, todas belas Quisera eu tê-las E a ela presenteá-las Para olhá-las Na noite escura e fria E lembrá-la do amor que a faria Quisera elas fossem guias Estrelas... que me levassem até ela