Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Voto Cabresto Gospel

O que seria mais relevante para o Brasil? Aprovação do casamento entre homossexuais ou diminuição da violência nas grandes cidades e melhores índices de educação, moradia, saneamento básico e saúde pública?

Pois bem, a turma dos pastores neo-pentecostais está doutrinando os seus respectivos rebanhos a votarem em determinados candidatos há bastante tempo. Contudo, nesta eleição a coisa passou dos limites. Talvez pela difusão causada pela Internet e pela força política e financeira que eles adquiriam, o que estamos assistindo é uma verdadeira enxurrada de mensagens, sermões e afins tentando, digamos, direcionar a escolha de candidatos.

Na visão deste arremedo de cronista que vos escreve, um “pastor” deveria orientar a sua “igreja” analisar as propostas de um candidato e avaliar se aquilo será bom para o presente e o futuro de seu povo. Povo quer dizer nação e não uma parcela da sociedade que defende esta ou aquela posição. Se um governante é a favor da eutanásia, por exemplo, não quer di…

Já pra casa, menino!

Neymar, bom de bola, campeão paulista e da Copa do Brasil, garoto da Vila. Ai é que está o ponto: apenas um garoto. E bem mimado. Se não foi pelos pais na infância, tem sido pelo clube, pela mídia e pelo público.

Quando Dunga não convocou nem ele — e nem o Ganso — para o Mundial da África do Sul, a coisa poderia ter dois rumos, ou o cara amadurecia e baixava a bola ou, (como ocorreu) no caso de fracasso do Brasil, se acharia o tal. Para piorar, veio o Chelsea com a mala cheia de dinheiro querendo levar o menino. Há pouquíssimo tempo, uma reportagem mostrava Neymar na auto-escola, tomando aulas de direção e parando para dar autógrafos. Há menos tempo ainda, vi outra matéria com ele dirigindo Volvo XC60 (carrão daqueles de entortar pescoços). É tudo muito rápido, da pobreza para a sobre abundância num piscar de olhos. Como garoto, Neymar joga brincando. Gramado para ele é o play. Garotos no play brincam, mas também fazem bagunça, xingam e, por vezes, saem dos limites. Só que tudo não pas…