Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014
Imagem

Seedorf e a Velha Fronteira

Clarence Seedorf, deixa não só o Botafogo, mas também a função de jogador. O atleta ganhou tudo que poderia ganhar. Sim, faltou uma Copa do Mundo. Mas Seedorf é holandês e a Holanda campeã do mundo será um sinal de que o fim estará próximo. Jogou em alguns dos clubes os quais todo jogador sonharia jogar. Perfilou com e/ou enfrentou os maiores de seu tempo. Faz parte de uma escola de futebol europeia que tinha o Brasil como inspiração maior. Um craque.
Craque de bola e de postura. Depois de todo o sucesso no Velho Mundo, veio disputar os campeonatos carioca e brasileiro pelo Botafogo. Colocou seu físico e seu intelecto privilegiados à serviço do Glorioso, nos campos esburacados do interior do Rio de Janeiro e nos melhores palcos do Brasil. Teve que aturar a imbecilidade crônica da cartolagem tupiniquim. Fez o Maracanã o aplaudir de pé. Chorou como menino e, principalmente, lutou como homem. Enquanto nossos pipoqueiros internacionais voltam para o Brasil em estados físico e moral vergonh…

Dilema

Ninguém sabe O que se passa E perpassa pensamentos Sentimentos O que move, ninguém descobre O que encobre aquele olhar O pensar vago... Vazio, às vezes frio Nada revela o que se vela Amor ou dor? Rancor (que lenta morte da preconiza)? Atrás do sorriso... o que por um fio agoniza.

De dois.

De noite. Nós dois Nossa cama. Nossos segredos. Nossos pecados. Nossa redenção. Nossas aventuras. Nossa ternura. Nosso doce ultraje.
De noite. Nós dois. Nossa penumbra. Nosso vislumbre.
De dois. Nossa noite...

Culpa...

Não tive culpa Fiz o que pude Cartas na mesa Gentileza, inteireza  De alma, de corpo Agi como louco... Um pouco  "Louco...", Você dizia  Nem eu sabia... Agora é história sem vanglória,  Coisa da memória... Adeus, senhora.  Você não teve culpa.  Nunca tivemos. Apenas vivemos. Deus nos perdoe, nos absolva. Se quiser, que nos abençoe. Amantes não são culpados.  São vítimas de seus doces delitos.  Tenho dito.