Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

2013

Que em 2013 sejamos mais verdadeiros e honestos conosco mesmos. Que não caiamos na armadilha da auto-sabotagem e percebamos a diferença entre doação e exploração. Que saibamos diferenciar ovelhas de lobos. Que nossos relacionamentos sejam vias de mãos-dupla, onde o sentido contrário seja contrário só no nome. Que nossas amizades sejam cada vez mais firmes e saudáveis.
Que nossos corpos sejam sãos e nossas mentes produtivas e criativas. Que respeitemos o próximo como gostaríamos de ser respeitados e que entendamos que do outro lado há alguém com sentimentos, sonhos e desejos. Que possamos usar nosso potencial para fazer coisas grandes e boas.  Que amemos, como nunca antes, seja alguém novo, seja através de um reencontro ou mesmo liberando quem nos impede de ter o amor que nos é merecido.  Que não permitamos que nos diminuam, nos interrompam ou nos inibam de sermos o que podemos se  por essência. Que não aceitemos que, com a desculpa de quererem o nosso melhor, moldem-nos a viver com o pi…

Abraço

Haverá um momento
Em que vou te dar um abraço
Que não será 
Apenas envolvimento de braços 
Tu entenderás
A prova de amor
A ternura e o calor
Dele fruirão por ti meus sentimentos
Cada um, um a um
Abraço incomum
Cheio de ternura e loucura. 
Como que terminasse a longa procura
Depois de tantos ais
Será um abraço de paz
Um dia, uma hora...
Um abraço em ti
Nada mais

Coincidência

Coincidência  s.f. Ação ou efeito de coincidir; Realização simultânea de dois ou mais acontecimentos, simultaneidade; Algo disposto de maneira igualitária ou idêntica; Realização de alguns eventos que acontecem à sorte ou em simultâneo, mas que aparentam ter algo em comum; Afluência de algo para um fim comum.  Geometria. Estado de duas figuras geométricas que se sobrepõem. Figurado. Concurso de circunstâncias: uma feliz coincidência. (Etm. coincidir + ência)
Coisa que me intriga e me encanta é a coincidência. Ela é maior que eu ou você. Não depende de nós para nada. Está acima das circunstâncias, das certezas, dos ritos e dos planos. Pelo contrário, muitos planos contam com a coincidência para serem bem sucedidos. 
A coincidência une o que era separado, é provedora de encontros, conectara de pessoas. A coincidência é musical, ela cria harmonias para melodias. Combina sons. Da coincidência não se foge. Uma hora ou outra, ela fala mais alto e age sem deixar dúvidas.
É a música tocada no rádio …

O Sentido do Natal.

Shoppings lotados, gente por todas a direções, com suas sacolas e pacotes. Natal virou gasto e consumo. Sem ser hipócrita, claro que gosto de ganhar presentes, claro que adoro ver o brilho no olhar da minha pequena na hora de "rasgar o papel". Mas me incomoda a - cada vez maior - compulsão para se gastar no Natal. Em outubro, o comércio nos faz acreditar que o Natal é no dia seguinte. Tudo é orquestrado para um momento se transformar em sentido e o real sentido da data se transformar em apenas um momento.
O Natal é Deus entre nós. É o Emanuel, o filho de Deus baixando à terra para nos conceder vida e nos ensinar sobre o amor. Natal é a lembrança do cordeiro de Deus imolado para a expiação de nossos pecados. Pecados? Sim, as falhas de nossa condição humana. Condição essa, limitada, que Deus, através de Cristo, assumiu para que sua mensagem fosse entendida de forma clara, real e cotidiana.
Natal para mim continua sendo isso. Sim, eu vou lá e compro presentes. Sim, eu vou lá e …

A Manjedoura

Lugar simples
Lugar único... disponível 
Outro não era possível

Entre bichos e feno
Talvez quieto e sereno
Nasceu o nazareno 
Menino Deus e terreno

Deixou seu glorioso lar
Para ao mundo o amor do Pai revelar
A paz espalhar e na humilhante cruz se deixar imolar

Cordeiro de Deus, 
Nossos pecados tirai
Aproximai-nos do Pai
Cujo filho unigênito nos à terra desceu

A manjedoura é o começo
O verbo em carne transformado
Eu, tanto amor, sei que não mereço
Mas a pela Graça fui alcançado

Teu Pescoço

Tem dias que penso somente 
No teu pescoço
Dias inteiros
No pescoço inteiro

Pequeno pilar cilíndrico 
Lugar de artérias, veias 
Finíssimos e músculos pelos
Nervos e sensações

Teu pescoço e o seu cheiro
Misturado ao perfume que borrifas 
O gosto do teu pescoço 
Temperatura

No teu pescoço começa teu rosto
Teus ângulos maxilares
No teu pescoço termina tua nuca
Que suavemente acaricias quando te cansas
Teu pescoço antecede o corpo que me tira o sono

Teu pescoço é lindo!
Teu pescoço só poderia ser lindo...
És linda!
Dá-se a lógica
Lógico, prefeito...

Teu pescoço

Idéias e Pessoas.

Muitas vezes, ficamos apaixonados por uma ideia. Deve ser o que chamam de idealização. Aí, vamos atrás de alguém que se encaixe na ideia. Quase um cargo, uma função cheia de tarefas. Selecionamos nossos pares e conviventes dentro de perfis definidos. Tem gente que determina até o biotipo. Tudo para que a ideia se materialize e a vida seja um projeto perfeito. Haja Freud! Somos capazes de passar muito tempo desse jeito, confundido ideias com pessoas. Uma vida inteira até.

Só que ideias não são pessoas. Por melhores que ambas sejam. É uma questão de adequação, momento, temperamento e até de química. Quando nos damos conta disso (quando damos, se é que damos), parece que uma confusão se instala nas nossas cabeças. É o parceiro ou parceira, que na verdade são sócios de uma espécie empreendimento doméstico. São filhos que se tornam reféns das idealizações de seus pais. Amigos que se decepcionam. O medo e a chance de haver decepção são grandes. 
As idéias são só idéias. Boas ou ruins, exeqü…

Oscar Niemeyer - A obra que se deixa.

A morte sempre nos alcançará em nossa condição humana e finita. Alguns têm a sorte de viver muito e aproveita esta dádiva para deixar um legado maior que seu tempo na terra. Oscar Niemeyer é um exemplo disso. Morreu aos 104 anos, uma bela marca. Viveu intensamente, projetou e construiu. Revolucionou. Concedeu-nos um orgulho de sermos tão brasileiros quanto ele. Niemeyer não será apenas história nos livros de Arquitetura ou de História do Brasil. Será também as avenidas e prédios de Brasilia e Belo Horizonte, o Arco da Apoteose, o Museu de Arte Contemporânea e um "Caminho" em Niterói, dentre tantas outras coisas. 
O mestre da Arquitetura nos ensinou uma grande lição: A longevidade é solitária. Vive-se muito, vê-se muito, o que se quer e o que não se quer ver. Contudo, a posteridade pode ser partilhada. Portanto, o que fazemos deve ser bom o suficiente para durar mais do que nosso período na terra. A vida tem que valer a pena.
Descanse em paz, Oscar Niemeyer. Obrigado.

Físico e Metafísico

Sobre alguns relacionamentos amorosos, penso que estão no campo da Metafísica. Há um comodismo quase etéreo. Como naquele retrato do casal patriarcal, pendurado nas paredes das casas do interior. Mortos-vivos dormindo na mesma cama, comendo à mesma mesa, sentados no mesmo sofá. Jovens ainda, muitas vezes... Longe de mim um amor metafísico. Antes, quero um amor bem físico. Quero a Física e todas as suas disciplinas: mecânica, cinética, termodinâmica, óptica, ondas, fluidos, etc. A experiência de um amor metafísico é correr o altíssimo risco de viver um pseudo amor.

Rest in Peace - Dave Brubeck (1920-2012)

Imagem
Morre hoje um dos maiores nomes da história do Jazz, Dave Brubeck. O pianista ficou famoso por ser o primeiro músico do gênero a vender mais de 1.000.000 de cópias de um álbum, "Time Out" (1959). O tema mais conhecido deste álbum é "Take Five", um 5/4, composto em parceria com o saxofonista Paul Desmond. Brubeck se destacou pelo uso de polirritmia, intercalando compassos em 9/8, 5/4 e o tradicional 4/4. Seus temos são regravados até hoje por músico das novas gerações do jazz.

RIP, Mr. Brubeck.

Avatar

Um dos maiores sucessos de bilheteria do cinema, Avatar (2009, James Cameron, Lightstorm Entertainment, 20th Century Fox), tem um mote simples: um ex-fuzileiro naval, que impedido de todos os seus movimentos por ser paraplégico, é conectado por vias neurais a um Avatar mais forte, mais rápido e (bem) mais alto que ele. Avatar é o nome da foto que temos nas redes sociais, é a identidade que assumimos.

E qual identidade é essa? Responder esta pergunta não é simples. Um dia desses, alguém muito próximo me disse que iria deixar o Facebook, pois na rede social todos eram felizes demais, perfeitos demais, bem sucedidos demais. “Ninguém tem problemas, todo mundo é legal no Facebook”, sentenciou. De fato, é muito raro um caso em que alguém diga que está triste ou que está passando por algum problema, e que insista na questão. Há alguns que quando o fazem, estão atrás de algum tipo de reação de carinho e atenção de seus interlocutores virtuais. Mas é tudo no campo da exceção. Nas redes sociais …

Parar

Parar o tempo. Naquele instante em que seus olhos se fixaram nos meus Depois se fecharam Como se esperassem Inevitável Quando os lábios se encontraram Como se os meus nascessem para ser seus Incomparável
Parar o mundo Travar a rotação do planeta no preciso segundo Do seu abraço Nada mais Suas mãos minhas costas povoando Meus braços seu corpo circundando Quando veio a paz
Parar e não deixar Nada mais mudar Nem você escapar Façam parar O tempo, o mundo, tudo Na exata hora Do olhar, do beijo, do abraço Naquele agora
Parar você Aqui.