Canabis Uruguaiana.


A câmara dos deputados do nosso vizinho Uruguai aprovou o cultivo e consumo da maconha. A matéria ainda será apreciada pelo Senado. O presidente uruguaio alega que a liberação do cultivo e do consumo enfraquece os traficantes de drogas, acabando com o problema do tráfico no país. 

Sinceramente, não sei o que se passa na cabeça dos uruguaios. Pois, se supostamente resolve a questão de tráfico de drogas, cria-se outro grande problema de saúde pública. Droga liberada é droga consumida em larga escala. É assim com o álcool e já vimos quantos danos isso trás. E nem adianta comparar Uruguai com Holanda. Definitivamente, é uma péssima comparação, a começar pelos sistemas de saúde e passando pelo fato de a Holanda não ser um produtor da droga, na escalas uruguaias. 

Outra fator é que o consumo de drogas e seus efeitos maléficos atingem a população economicamente ativa. Imaginem um motorista doidão, um eletrecista doidão, um neuro-cirurgião doidão ou uma professora doidona. Os danos podem ser irreparáveis. Além disso, a liberação da cabanis pelo Uruguai abre um rombo em qualquer política de combate ao tráfico de drogas nos países da América Latina (que tanto penam com o problema) e preocupa até os EUA (que descansou com a Colômbia e hoje enfrenta os traficantes do vizinho México).

Uruguai, com uma economia combalida há décadas, acaba de fazer o que muitos usuários de drogas fazem: vai dar um "tapa", para fugir de seus problemas e causar outros para quem estiver por perto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Fila e a Oportunidade

Veraneou

Brasil: Financiamentos versus Credibilidade