Vive pouco...


Quem não faz piada
Não liberta a risada
E nunca fez uma palhaçada

Quem não beija apaixonado
Mas como se fizesse obrigado
Pela sociedade escravizado
Com medo de ser questionado

Quem não se arrisca por amor
Quem não chora por amor
Quem faz loucura por um amor
Esse não sabe o que é amor

Quem tem medo da situação mudar
Ainda que seja doído na mesma ficar
E que seu maior sonho custar

Quem tem medo de gente
Que não toma chuva por temer ficar doente
E foge do que é diferente

Quem só acredita nos planos
Que chora por baixo dos panos
E faz do sorriso exposto um engano

Quem não dança nem deixa dançar
Que acha que já morreu a sua interna criança e a dos outros quer matar
E que se remói no desejo de vingança, sendo que nada vai edificar


Quem a dogmas se prende
Que o imprevisto não compreende
Quem à surpresa não se rende
E à rotina se vende

Quem ao próximo não estende a mão
Quem não tem um amigo que parece um irmão
Nem sabe que pra sempre pode durar uma paixão

Quem confunde estabilidade com felicidade
Quem que esconde da verdade
E que mesmo vivendo um século
Vai achar que longevidade é qualidade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Fila e a Oportunidade

Veraneou

Brasil: Financiamentos versus Credibilidade