Transgressão, seja bem-vinda.


Transgressão. Uma palavra a qual os dicionários e as mentes não costumam tratar bem. Transgredir está associado à fazer o que não é “certo”, à quebra de regras, à algo negativo. Uma transgressão pode significar uma ofensa, uma infração ou até mesmo um crime. Transgressão não é coisa que se deve fazer. Transgredir pode não ser “legal” — literal, social e moralmente. Mas a coisa não é bem assim...

A transgressão estará sempre condicionada a uma situação presente, a uma causa. Quem transgride é ou está insatisfeito, sente-se muitas vezes impedido de ter (ou experimentar) algo mais ou de algo diferente apenas. A transgressão tem o olhar no futuro. O autor da transgressão vislumbra o outro lado da fronteira dos costumes, liturgias e convenções. Fisicamente, a transgressão é a força que atua contra a inércia. Se a inércia for o repouso, a transgressão é o movimento. Se a inércia for movimento, a transgressão é aceleração, desaceleração e repouso. É mudar o jogo, é virar o placar.

Dizer "não" ou "sim", é transgredir. Galileu transgrediu ao dizer (com provas) que a Terra girava em torno do sol e não o contrário. Os geneticistas transgrediram ao afirmarem que o conceito de raça não valia para os seres humanos. Martin Luther King transgrediu ao pregar e viver uma política que não agressão (ou de reação à agressão). Você pode transgredir ao negar o modelo de vida que tem hoje. Ao querer algo melhor que verdadeiramente lhe satisfaça. Não falo de bens matérias, sonhos de consumo ou status social. Refiro-me aos relacionamentos que temos, as ocupações profissionais que assumimos, até mesmo dos amores que vivemos ou deixamos de viver. O fato é que a vida passa, e com ela as oportunidades de conhecer novas e melhores situações. Transgredir nos tira da pequeneza, da estreiteza e da pobreza de espírito.

A transgressão é amiga da coragem. Os covardes não transgridem. Simplesmente assistem. Sendo assim, transgredir é bom. É libertador. Não repetir e sim pensar no que se está fazendo (ou não) da vida. Transgredir pode ser a tábua de salvação. Transgredir faz crescer. Dói muitas vezes. Mas, souber fazer direitinho, não mata.

Vou ali transgredir e já volto...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Fila e a Oportunidade

Veraneou

Brasil: Financiamentos versus Credibilidade