Perdoar a mim mesmo.

Não li o livro, mas no filme Rezar Comer Amar tem uma cena em que o personagem de Julia Roberts, Liz Gilbert, ouve a seguinte frase de seu mentor espiritual durante sua passagem pela Índia (interpretado por Richard Jenkins): “Perdoe a si mesma.”

Aquela frase me veio como um grito aos meus ouvidos. Eu presido me perdoar. Nem tudo que não deu certo na minha vida foi necessariamente por culpa minha. E mesmo nas coisas que eu tive responsabilidade total, errei na tentativa do acerto.

Perdoar a si mesmo — e trocar a dor da culpa pelo alívio da lição aprendida com a falha — pode ser uma experiência libertadora. Os erros, assim como os acertos, trazem conseqüências. Fica muito mais difícil lidar com essas conseqüências e seguir a vida com o peso de uma auto-condenação. Perdoar a si mesmo tem tudo a ver com amor próprio. Logo, seu eu me amo, não vou ficar me condenando, mas sim buscar a solução e tentar achar meios de não errar novamente. Tentar. Porque nunca estarei livre de errar.

Vou perdoar a mim mesmo. Quero alívio. Quero seguir em frente.

Comentários

  1. MUITO BOA PALAVRA, O PERDÃO MANIFESTA EM NÓS A CERTEZA E A SEGURANÇA PARA CONTINUARMOS NOSSA CAMINHADA RUMO A UMA VIDA PLENAMENTE FELIZ,
    POIS SE DETIVERMOS NOSSOS MEDOS OCULTOS, NOSSA CULPA SO AUMENTARÁ, ENTÃO QUE TAL COMPARTILHAR COM QUEM NOS CONHECE E VELA POR NÓS DIA E NOITE,
    VAMOS PEDIR CONSOLO A QUEM PODE DAR, A JESUS CRISTO, O PAI DO PERDÃO.!!!!!!!
    MUITA PAZ E PARABENS PELO SITE, QUE DEUS TE ABENÇOE

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Atenção: Acusações insultuosas, palavrões e comentários em desacordo com o tema da notícia não serão publicados e seus autores poderão ter o envio de comentários bloqueado neste blog.
Pense antes de escrever. Assine depois de escrever

Postagens mais visitadas deste blog

A Fila e a Oportunidade

Veraneou

Brasil: Financiamentos versus Credibilidade