Para o meu pai.

Levava na escola, na igreja, no ensaio do coral, no futebol, no Circo Orlando Orfei, nas apresentações do Hollyday on Ice, no zoológico. Desmontava bicicleta, colocava a bicicleta no carro, montava novamente para gente andar. Depois fazia o roteiro inverso para o retorno a casa. Cinema? Incontáveis vezes. Maracanã? Depois de muita insistência, mas está valendo. Fez de tudo para que nos formássemos em boas escolas, pagou caro por isso. Adiou seus sonhos em prol dos nossos.

Nesse final de semana comemora-se o dia dos pais. Vou aproveitar a data, para dizer o quanto amo meu pai. Não quero ficar gastando palavras. Só quero dizer isso: eu amo o meu pai.

Por muitas vezes, o filho só entende o pai depois que vira pai também. O que parecia sem sentido é aclarado de forma escancarada. Obrigado, pai. Por muitas coisas, todas elas. Obrigado até hoje. Eu e minha irmã devemos muito a você. Espero saber retribuir tudo o que você fez e faz por mim. Hoje, somos homem e mulher feitos. Somos diferentes em muitos pontos de vista. Às vezes sai faísca. Mas isso não diminui em nada o seu exemplo, a nossa admiração e nosso respeito. Queremos você por perto por muito tempo.
Fotos: Meu pai, minha irmã e eu. A primeira é de 1982, na parada Oasis (Casemiro de Abreu, RJ). A segunda é de maio de 2010, na comemoração de aniversário de 69 anos de meu pai.

Comentários

  1. Parabéns pelo pai que tem e parabéns pelo pai que é. Digo isso com bastante propriedade. ( Leticia Magna)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Atenção: Acusações insultuosas, palavrões e comentários em desacordo com o tema da notícia não serão publicados e seus autores poderão ter o envio de comentários bloqueado neste blog.
Pense antes de escrever. Assine depois de escrever

Postagens mais visitadas deste blog

A Fila e a Oportunidade

Todos os Junhos do Ano

Veraneou